Cruzeiro : raça e festa no Mineirão rumo à SEMI da Copa do Brasil

Cruzeiro : raça e festa no Mineirão rumo à SEMI da Copa do Brasil

☺ Mais uma Página Heroica Imortal para nossa história – Quando a bola rolou no Mineirão a maioria dos cronistas do eixo apostava na classificação do Palmeiras. O time que entrou em campo havia sido poupado, estava fresquinho como se diz na gíria do futebol e teria 90 para construir a vantagem mínima que lhe servia. Para todos que torciam contra a vitória contra o Cruzeiro seria mera questão de tempo. Mas, quando tudo parece estar contra, sempre a gente tem que lembrar da nossa história, em especial nesta competição.

Na primeira conquista o empate de 0 x 0 em Porto Alegre num jogo que o Cruzeiro poderia e merecia ter vencido. Na volta no Mineirão, viramos o 1º tempo com o empate de 1 x 1 que daria o título ao Grêmio. Mas, logo no começo da etapa final o gol de Cleisson nos valeu a vitória e a conquista.

Em 1996, saímos de campo no Mineirão com um empate de 1 x 1. Na volta em São Paulo o Palmeiras fez 1 x 0 com 5’ de jogo e nos massacrou. Só que Dida com uma atuação soberba garantiu que aquele gol fosse único. O Cruzeiro empatou com Roberto Gaúcho e virou com Marcelo Ramos calando o Parque Antarctica quando ninguém mais acreditava na gente.

Em 2000, o empate em 0 x 0 em São Paulo. O 1º tempo do jogo do Mineirão foi arrastado. O São Paulo abriu o marcador aos 23’ da etapa final. E parte da torcida se calou. Os descrentes dominavam e resmungavam em campo. Mas, de repente, quando poucos acreditavam que a conquista ainda seria possível, Muller acha Fábio Jr. Que empata o jogo. E o gol mágico de Geovanni no apagar das luzes trouxe a taça para nossa galeria, em mais uma vitória heroica.

Em 2003, o Cruzeiro vai ao Maracanã e se impõe diante do Flamengo, mas, mesmo com a letra mágica de Alex, o placar de 1 x 1 trazia para cá a desconfiança sobre as nossas possibilidades. Afinal de contas, bastaria ao Flamengo de Edilson Capetinha uma vitória simples para levar a taça para o Rio de Janeiro. E o nosso quadro piorava com a ação de Carlos Eugênio Simon que conseguiu suspender nossa dupla de zaga para o jogo da volta. O Cruzeiro foi forçado a usar Luisão voltando de longa inatividade e o garoto capixaba Gladstone que estreou entre os profissionais. E mais uma vez, a raça e o talento dos nossos jogadores prevaleceu e em 30’ já estava 3 x 0 para o Cruzeiro, com 3 cobranças de falta de Alex e 3 gols de cabeça de Deivid, Aristizabal e Luisão.

Trouxe estas histórias para vocês, para mostrar que o Cruzeiro é capaz de reações surpreendentes e que nosso torcedor tem motivos mais que suficientes para acreditar até o final, que o time vai mais adiante neste tipo de competição. Hoje foi mais um dia destes. E uma coincidência marca a nossa trajetória nesta edição da Copa do Brasil. Enfrentaremos nas 8as (São Paulo), 4as (Palmeiras), SEMI (muito provavelmente o Grêmio) e provavelmente na final (Flamengo), os 4 times contra os quais fomos campeões da Copa do Brasil. Claro que o confronto do outro lado da SEMIFINAL é clássico e pode dar Botafogo, mas, esta hipótese existe.

☺ As nuances de Cruzeiro 1 x 1 Palmeiras – Antes da partida começar fiquei preocupado porque tive notícia que uns pé frios históricos estariam no Mineirão. Tive o cuidado de ligar para eles e pedir que usassem meião duplo em cada perna e que passassem um unguento destes que esquentam o corpo quase a ponto de sapecar a pele. E sei que meu conselho foi aceito. O professor Cláudio C. Coelho sofreu inspeção da galera ao chegar no estádio e parecia que tinha tomado banho de GELOL (rs, rs, rs).

Todos sabiam que o Cruzeiro não poderia ficar atrás só se defendendo, mas, também, tinha-se a certeza que o Palmeiras não iria se lançar à vera para tentar resolver a parada logo de cara. Este foi o cenário do 1º tempo, no qual nem Fábio e nem Jaílson foram exigidos em defesas de grau de dificuldade.

No intervalo Cuca sacou Guerra e fez entrar Keno na esquerda, trazendo Dudú para o centro, para ver se ele com sua velocidade e dribles conseguia furar o bloqueio da dupla de volantes lentos do Cruzeiro (Henrique e Ariel Cabral). Mas, a gente tem que dar a mão à palmatória e reconhecer a bela partida que ambos fizeram. Ariel Cabral foi um dos maiores destaques do time na partida de hoje. E Henrique se desdobrou, jogou com raça, com vontade e se fez presente até nas coberturas de laterais, coisa que a gente não o via fazer há tempos. Hoje, ele foi bem e foi diferente, marcou e jogou. Dudú não arrumou muita coisa não.

Outro jogador sempre muito criticado no Cruzeiro é Léo que hoje marcou muito bem a Borja, até Élber que vinha de partidas fracas estava atuando bem, nada de excepcional, mas, criava dificuldades para a marcação de Egídio. O Palmeiras estava vindo para cima, mas, longe de fazer pressão insuportável. Cuca lançou o garoto Raphael Veiga sacando Felipe Melo e mudando o sistema tático para 4-1-4-1 para tentar criar desequilíbrio na marcação do Cruzeiro, mas, sem ter a contundência capaz de impor grandes dificuldades a Fábio.

Mas, aos 26’ da etapa final numa cobrança de bola parada, Fábio socou a bola que caiu nos pés de Keno, fora da área. O atacante palmeirense chutou e Fábio estaria na bola, mas, no meio do caminho a danada desviou no bico da chuteira de Romero e enganou a Fábio. Nesta hora, nas redes sociais, os descrentes saíram da Toca e saíram criticando a Deus e a todo o time do Cruzeiro, como se o jogo tivesse acabado.

Restava ao Cruzeiro ir para cima do adversário e o time não se fez de rogado. Os descrentes entupindo os grupos de WhatsApp com suas palavras negativas. Mas, estes desconhecem a história de superação da nossa camisa e numa jogada invertida, Álisson, o ponta, cortou pra dentro, como já fizera um milhão de vezes, só que desta vez acerta o cruzamento que sai perfeito. O lateral Diogo Barbosa, defenestrado porque falhou no lance do gol do Palmeiras ao ceder a bola, sobe e cumpre à risca o ensinamento de Dadá, queixo no ombro. A bola vai no cantinho e a gente vê o Mineirão explodir. Mano Menezes que já se preparava para fazer entrar a última opção ofensiva, sente que é hora de fechar mais o time e faz entrar Lucas Silva no lugar de Álisson, que sai aplaudido. Os últimos minutos exigiram a máxima concentração do time do Cruzeiro, que quase fez o gol da vitória com Arrascaeta, que entrou cara a cara e chutou para grande defesa do Jaílson. Fim de jogo e a festa azul, que ficou ainda melhor com a eliminação do time atleticano com a derrota de 3 x 0 para o Botafogo. Assim, começou a festa azul e branca em BH que promete varar a madrugada.

Sempre digo que quando o Cruzeiro iguala seus adversários na raça, na gana, na vontade, dificilmente não atinge os objetivos. Hoje uma imagem marcante foi a expressão do jovem guerreiro Murilo logo após o gol de Diogo Barbosa. De arrepiar. Era a mais pura expressão de raça. É hora de olhar com mais carinho para quem começa a vestir a nossa camisa ainda na base. É diferente o amor, a entrega, o sentimento, o comprometimento.

Mas, é preciso reconhecer que o nosso time hoje se doou com gosto. TODOS OS JOGADORES. E a torcida comprou a briga e deu show no Mineirão, coisa que fez o treinador do Cruzeiro se emocionar e agradecer. Nossa torcida foi o 12º jogador e fez a diferença. O Cruzeiro vestiu a camisa do guerreiro dos gramados.

Aproveito esta coluna para uma homenagem especial ao nosso grande craque Dirceu Lopes Mendes que fez aniversário esta semana (25/07/1946) e que certamente vibrou como nunca com mais esta página heroica imortal.

Cruzeiro, Cruzeiro Querido…Tão Combatido, Jamais Vencido

 

Lances mais relevantes da partida:

☺ 3’ – Thiago Neves avança pela direita, toca para Élber na entrada da área, o atacante pega de voleio, mas a bola desvia em Edú Dracena e vai a corner.

♣ 10’ – Dudú bate o córner e Mina sobe mais alto que a defesa, mas, desvia para o lado. A bola sai para lateral. Dudú bate o lateral e Dracena cabeceia para fora, sem perigo.

☺ 12’ – Alisson acha Sóbis na área. No domínio a bola se adianta um pouco e Mina chega rasgando, mandando a bola pela linha de fundo.

☺ 17’ – Diogo Barbosa avança e acha Thiago Neves na região da meia-lua da grande área do Palmeiras. Ele corta para dentro, a bola ficaria à feição para o chute de direita de Sóbis, mas, Thiago Neves se vira e chuta fraco de esquerda. Uma pena.

☺ 24’ – Romero sai da defesa para o ataque e tenta achar Élber na direita. Egídio tira a bola que fica com Thiago Neves que sofre falta de Thiago Santos. O meia cruzeirense cobra e a bola rebatida pela zaga sobra para Sóbis que emenda na direção do go. A bola bate em Edú Dracena e volta quase no meio.

♣ 32’ – Dudú lança Jean na intermediária do Cruzeiro. Ele corta para dentro e chuta de canhota para defesa fácil de Fábio.

☺ 36’ – Thiago Neves agora escapa pela esquerda e cruza a bola. Egídio fura e atrapalha Henrique que pega na orelha da bola, na pequena área. Outra chance perdida.

☺ 43’ – A bola sobra na meia-direita do ataque cruzeirense para Ariel Cabral que domina, adianta e solta a canhota nela, que sai perto do gol do Palmeiras.

O 1º tempo termina aos 46’, sem que os goleiros fossem realmente exigidos.

☺ 48’ – Élber arranca em alta velocidade pela direita e sofre a falta de Egídio por trás, amarelando o lateral do Palmeiras. Thiago Neves lança a bola na área, mas Jaílson chega afastando de soco. No rebote, a bola é alçada de novo na área, Edú Dracena rebate nos pés de Sóbis que faz o gol. Mas, o jovem Murilo, afoito, havia feito falta desnecessária em Egídio.

☺ 51’ – Rafael Sóbis toca para Thiago Neves no meio, o meia toca para Alisson na área, mas Edu Dracena chega travando. Escanteio para o Cruzeiro. Thiago Neves bate e Léo sobe livre, livre, mas, cabeceia para fora. Que chance !!!

♣59’ – Dudu enfia para Roger Guedes na linha de fundo, o atacante toca para Borja na área, que chega batendo. A bola pega no rosto de Murilo e vai para fora.

♣64’ – Raphael Veiga domina, vira e de muito longe arrisca o chute de esquerda, e a bola passa perto do gol de Fábio, que estava na bola.

♣71’ – GOL DO PALMEIRAS – Cruzeiro 0 x 1 Palmeiras – A bola é cruzada na área, Fábio afasta de soco e sobra em Keno. O atacante chuta de fora da área, a bola desvia em Lucas Romero e vai parar no fundo da rede de Fábio. É gol de Keno. A torcida do Cruzeiro começa a cantar forte no Mineirão, para apoiar o time, como tem que ser.

☺ 75’ – Thiago Neves e Álisson trocam passes no lado esquerdo do ataque do Cruzeiro, a bola sobra para Arrascaeta que chuta para fácil defesa de Jaílson.

♣ 83’ – Borja recebe livre no campo de ataque, vira bem o jogo para Egídio. O lateral, com boas opções de passe, arrisca o chute e isola a bola, perdendo chance clara de matar o jogo.

☺ 85’ – GOL DO CRUZEIRO – Álisson pega a bola na esquerda, corta para dentro e cruza certinho na cabeça de Diogo Barbosa que faz o gol de cabeça, colocando a bola no canto direito de Jaílson que quase conseguiu a defesa. Explode coração na maior felicidade… é lindo o meu Cruzeiro, contagiando e sacudindo esta cidade. Nesta hora eu me lembrei de Carlos César Franco Gomes e da sua gargalhada, marcante nos gols do Cruzeiro. Emoção demais. A torcida faz o maior barulho. Acordei o meu prédio inteiro com a gritaria.

☺ 90’ – Raniel desarma o ataque do Palmeiras e lança Arrascaeta que puxa um lindo contra-ataque no lado esquerdo de ataque, passa por Egídio e avança em direção à área do Palmeiras. Mas, no último toque adianta muito a bola e Jaílson sai bem do gol e abafa a bola, fazendo uma linda defesa.

☺ 91’ – O Cruzeiro prende a bola no lado esquerdo de ataque. Arrascaeta recebe do lateral e toca para Raniel que limpa e chuta de direita para fora.

☺ 90 + 2’ – Raniel recebe a bola na entrada da área do Palmeiras. Está sozinho, tenta a jogada individual e recebe a falta desleal de Edú Dracena que é amarelado.

E o juiz termina a partida aos 49’ da etapa final, com festa da torcida cruzeirense.

 

Histórico dos mata-matas: Agora está Cruzeiro 3 x 6 Palmeiras:

  • 1996 – Final da Copa do Brasil. Deu Cruzeiro. Empate de 1 x 1 no Mineirão e vitória de 2 x 1 no Parque Antarctica, com gol de Marcelo Ramos aos 38’ do 2º tempo.
  • 1998 – Final da Copa do Brasil – Deu Palmeiras. Vitória do Cruzeiro de 1 x 0 no Mineirão. Vitória do Palmeiras de 2 x 0 no Parque Antarctica.
  • 1998 – 4as de Finais do Campeonato Brasileiro – Deu Cruzeiro. Disputa em 3 partidas. No Mineirão, vitória do Cruzeiro por 2 x 1. Na volta em São Paulo vitória do Palmeiras por 2 x 1. No jogo desempate, também em São Paulo, vitória do Cruzeiro por 3 x 2 com gol de Fábio Jr. saindo aos 43’ do 2º tempo.
  • 1998 – Final da Copa MERCOSUL – Deu Cruzeiro. Disputa em 3 partidas. No Mineirão vitória do Cruzeiro por 2 x 1. Em São Paulo vitória do Palmeiras por 3 x 1. No jogo desempate, em São Paulo, vitória do Palmeiras por 1 x 0.
  • 1999 – 4as de Finais da Copa MERCOSUL. Deu Palmeiras. Em São Paulo em noite infeliz de Maisena deu Palmeiras por 7 x 3. No jogo da volta o Cruzeiro fez 2 x 0 e só não virou o placar agregado porque o juiz ajudou demais ao Palmeiras.
  • 2000 – 4as de Finais – Copa dos Campeões. Deu Palmeiras. Em João Pessoa, no Almeidão, Palmeiras fez 3 x 1. Em Alagoas, no Trapichão, houve empate por 1 x 1.
  • 2001 – 4as de Finais da Copa LIBERTADORES. Deu Palmeiras. Empate em 3 x 3 em São Paulo. No Mineirão deu empate de 2 x 2. Na cobrança de pênaltis Palmeiras ganha de 4 x 3, após 6 cobranças para cada lado. Jackson isolou a última do Cruzeiro.
  • 2015 – 8as de Finais da Copa do Brasil. Deu Palmeiras. No Allianz Parque vitória palmeirense por 2 x 1. No Mineirão outra vitória do Palmeiras por 3 x 2.
  • 2017 – 4as de Finais da Copa do Brasil. Deu Cruzeiro. No Allianz Parque, num jogo maluco, o Cruzeiro abriu 3 x 0, mas, cedeu o empate por 3 x 3. No Mineirão, após sair atrás no placar o Cruzeiro buscou o empate por 1 x 1 no final do jogo.

 

SÚMULA DA PARTIDA: Cruzeiro 1 x 1 Palmeiras

Motivo: Jogo de volta das 4as de Finais da Copa do Brasil de 2017

Local, Data e Hora: Mineirão, Belo Horizonte, 27/07/2017 às 21:45 h

Cruzeiro: Fábio, Lucas Romero, Léo, Murilo e Diogo Barbosa; Ariel Cabral e Henrique; Élber (Arrascaeta a 60’), Thiago Neves e Álisson (Lucas Silva a 87’); Rafael Sóbis (Raniel a 76’) +++ DT : Mano Menezes

Opções de banco não usadas por Mano Menezes : Rafael, Lucas França, Lennon, Arthur, Manoel, Bryan, Nonoca e Rafinha.

Palmeiras: Jaílson, Jean, Mina, Edú Dracena e Egídio; Felipe Melo (Raphael Veiga a 57’) e Thiago Santos; Roger Guedes, Guerra (Keno a 46’) e Dudú (Tche Tche); Borja. +++ DT: Cuca

Opções de banco não usadas por Cuca : Fernando Prass, Vinícius Silvestre, Fabiano, Antônio Carlos, Michel Bastos, Hyoran e Erik.

Arbitragem – Árbitro Principal: Wilton Pereira Sampaio (GO/FIFA) + Assistentes: Bruno Raphael Pires (GO/FIFA) e Cristhian Passos Sorence (GO/CBF), com boa atuação.

Cartões Amarelos: Álisson (56’), Arrascaeta (66’) e Thiago Neves (90 = 4’) – Cruzeiro e Mina (21’), Egídio (48’) e Edú Dracena (90 + 3’) pelo Palmeiras.

Público Pagante: 41.660 torcedores +++ Público Presente : 44.842 torcedores

Renda: R$ 1.277.729,00 (ticket médio = R$ 30,67)

 

Homenagens desta coluna: Pablito_TFC, Naty Andrade, Toninho Assunção, Eliza Carvalho, Jéssica Lima, Bento Jr., Natália Quaresma, Bernardo Mota, Laís Vilela, Lena Tetra Lopes, Fafá Murcelle, Lívia 1500, Leonardo Valadares, Fortunato e Wellington Campos, João Roberto Lazzarini Ávila, Renílson Guimarães e Joaquim Duarte Lage Neto.
 

Categories: Colunas

Sobre o EN

Enxada Neles

O jargão “Enxada Neles” foi criado por Ademir Santos, apresentador da TV Alterosa/SBT – Sul e Sudoeste de Minas Gerais, idealizador do Portal Enxada Neles. Ademir começou a usar esse jargão na TV como uma forma de desabafo diante das injustiças sociais que apresenta diariamente. A “enxada” representa o valor do trabalho sério e árduo de uma pessoa na busca de suas conquistas, pelo seu esforço e honestidade.Desta forma, de um modo geral e simbólico, é um símbolo do trabalho. A frase caiu no gosto popular e virou a “marca registrada” de Ademir Santos. No Portal Enxada Neles você ficará sempre bem informado sobre as principais notícias do Sul e Sudoeste de Minas Gerais, além do Brasil e do Mundo. Enxada Neles é o seu novo portal de notícias na internet!

Escreva um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.
Campos necessários estão marcados*