Cruzeiro vence nos pênaltis e é pentacampeão da Copa do Brasil

Cruzeiro vence nos pênaltis e é pentacampeão da Copa do Brasil

Da redação

Cláudio Antonio

Em um jogo bastante emocionante, o Cruzeiro fez valer a gigantesca força da camisa cinco estrelas e, com um verdadeiro show da maior torcida de Minas Gerais, venceu o Flamengo por 5 a 3 nos pênaltis, depois de empate em 0 a 0 no tempo regulamentar, na noite desta quarta-feira, no Mineirão, e conquistou o pentacampeonato da Copa do Brasil.

Fábio defendeu o pênalti batido por Diego e Henrique, Léo, Hudson, Diogo Barbosa e Thiago Neves converteram todas as cobranças da Raposa, que volta a ser a maior vencedora da história da competição, com os títulos de 1990, 1996, 2000, 2003 e 2017. Além de mais uma conquista nacional, o Maior de Minas assegurou também a vaga na Copa Libertadores da América no ano que vem.

O confronto

O jogo começou bem truncado, com as duas equipes se estudando e sem encontrar espaços para criar as jogadas ofensivas. O Flamengo chegou com perigo primeiro, em uma cobrança de falta de Guerrero, que bateu na trave e saiu para a linha de fundo.

O Maior de Minas respondeu com um chute de De Arrascaeta, após rebote da zaga, mas a bola saiu à direita do gol. Na jogada seguinte, De Arrascaeta lançou Thiago Neves, que chutou colocado e a bola passou raspando o travessão.

Dominando as ações, a Raposa tomava a iniciativa do jogo e continuava criando as melhores chances de gols, como no chute de Thiago Neves, acima da meta, e a falta cobrada por De Arrascaeta, que Juan quase marcou contra, ao desviar de cabeça para a linha de fundo.

Nos instantes finais do primeiro tempo, o meia Thiago Neves tocou para Hudson, que cruzou para De Arrascaeta dentro da área, mas o uruguaio, desequilibrado, chutou fraco, facilitando a defesa de Alex Muralha.

Igualdade

O Cruzeiro iniciou o segundo tempo pressionando o adversário, que se posicionou bem mais atrás e conseguiu conter o ímpeto inicial celeste.

Apostando nos contra-ataques, a equipe carioca deu trabalho ao goleiro do Cruzeiro em um chute de Diego, de fora da área, que Fábio defendeu.

Aos 33 minutos, Diogo Barbosa chutou cruzado, Alex Muralha tentou tirar e praticamente jogou a bola encima de De Arrascaeta, que cabeceou para a linha de fundo.

O Maior de Minas seguiu em busca da vitória, mas levou um susto aos 43 minutos, em um chute forte e colocado de Guerrero, dentro da área, que Fábio fez excelente defesa.

Cobranças de pênaltis

Henrique abriu as cobranças e converteu. Cruzeiro 1 a 0. Guerrero bateu em seguida e empatou. 1 a 1. Léo foi para a segunda cobrança e recolocou a Raposa na frente. 2 a 1. Juan bateu e converteu também. 2 a 2. Hudson cobrou a penalidade dele e fez Cruzeiro 3 a 2. Diego bateu e Fábio defendeu. Que loucura, Cruzeiro 3 a 2. Na sequência, Diogo Barbosa cobrou o dele e fez 4 a 2, deixando a Raposa bem próxima do pentacampeonato. Trauco cobrou e diminuiu para o Flamengo. Cruzeiro 4 a 3. Por fim, o meia Thiago Neves pegou a bola, ajeitou com carinho e converteu, sem chance alguma para Alex Muralha. Cruzeiro 5 a 3, pentacampeão da Copa do Brasil.

CRUZEIRO 0 (5) X (3) 0 FLAMENGO
Motivo: 2º jogo da final da Copa do Brasil
Data: 27/09/2017 (quarta-feira)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte-MG
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira-SP (Fifa)
Cruzeiro: Fábio; Ezequiel, Léo, Murilo e Diogo Barbosa; Henrique, Hudson, Robinho (Rafinha) e Thiago Neves; Alisson (Elber) e Raniel (De Arrascaeta)
Técnico: Mano Menezes
Flamengo: Alex Muralha; Pará, Réver, Juan e Trauco; Cuéllar, Willian Arão e Diego; Berrío (Rodinei), Everton (Lucas Paquetá) e Guerrero
Técnico: Reinaldo Rueda
Cartões amarelos: Ezequiel e Hudson (Cruzeiro); Pará e Guerrero (Cruzeiro)

(Este material está liberado para reprodução. Os órgãos de imprensa devem citar o Site Oficial do Cruzeirocomo a fonte da informação.)

Categories: Esportes

Sobre o EN

Enxada Neles

O jargão “Enxada Neles” foi criado por Ademir Santos, apresentador da TV Alterosa/SBT – Sul e Sudoeste de Minas Gerais, idealizador do Portal Enxada Neles. Ademir começou a usar esse jargão na TV como uma forma de desabafo diante das injustiças sociais que apresenta diariamente. A “enxada” representa o valor do trabalho sério e árduo de uma pessoa na busca de suas conquistas, pelo seu esforço e honestidade.Desta forma, de um modo geral e simbólico, é um símbolo do trabalho. A frase caiu no gosto popular e virou a “marca registrada” de Ademir Santos. No Portal Enxada Neles você ficará sempre bem informado sobre as principais notícias do Sul e Sudoeste de Minas Gerais, além do Brasil e do Mundo. Enxada Neles é o seu novo portal de notícias na internet!

Escreva um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.
Campos necessários estão marcados*