Diplomação dos eleitos para o governo de Carmo da Cachoeira e Varginha – Quadriênio 2017/2020

Diplomação dos eleitos para o governo de Carmo da Cachoeira e Varginha – Quadriênio 2017/2020

 

         Reportagem de Cleiton Juventino e Thiago Rodrigues

Foram diplomados na noite desta segunda-feira (19/12) os prefeitos, vice-prefeitos, vereadores eleitos e suplentes para as cidades de Carmo da Cachoeira e Varginha. O evento que aconteceu no Teatro Capitólio contou com a presença de diversas autoridades e foi abrilhantado pelo coral dos reeducandos do Presídio de Varginha.

Segundo Oilson Woffman Schmidt – Juiz Eleitoral da Comarca de Varginha – a diplomação encerra os trabalhos das eleições 2016 que para ele foi considerada um sucesso. O pleito foi referência digna de elogios em todo o Brasil pelo bom exemplo na forma como foi conduzida.

Uma honra devido ao respeito aos acordos feitos entre partidos, candidatos e a justiça eleitoral e principalmente ao espírito coletivo que envolveu toda equipe e todos os voluntários, muito deles anônimos. O exercício de cidadania respeitado, levado a sério e honrado por todos.

“Galhardia – os nossos candidatos ouviram os nossos pedidos, entenderam que nós não estávamos sendo visionários, quando na nossa primeira e única reunião nós estabelecemos que teríamos uma eleição diferente. Eles exerceram com plenitude a cidadania, atenderam ao pedido do juiz eleitoral e cumpriram com seu alto ministério. Eles sabiam que nossos eleitores estão um pouco mais exigentes e não aceitam em hipótese alguma um candidato sujo. Um candidato que não preserve o meio ambiente. Um candidato que contribua para a sujeira de nossa comunidade. Demos o primeiro passo em que Varginha foi referência nacional. Eu fico muito feliz por participar desta referência”.

Ele destaca ainda o papel importante desenvolvido pelos cartórios e por todos os voluntários neste processo eleitoral:

“Nós temos uma equipe, nós não somos nada sozinhos. Tem uma frase de Dom Helder Câmara que diz que quando eu sonho sozinho, não passa de um sonho. Mas quando eu partilho esse sonho, ele torna-se uma realidade. A nossa realidade foi através de nossa equipe, mas não só a equipe do cartório. Todos os voluntários, todas aquelas pessoas desconhecidas que naqueles dias das eleições exerceram com plenitude o exercício da cidadania, se dedicando voluntariamente, e isso é o que nos deu motivação para que nós hoje fizéssemos um elogio a todos esses abnegados desconhecidos. O nosso sucesso foi deles. Nós somos uma pecinha do jogo de xadrez da vida”.

img_20161219_204150412      img_20161219_204751324

img_20161219_204756772_hdr      img_20161219_210933998

 

img_20161219_214139901_hdr

De acordo com a justiça eleitoral só podem tomar posse no dia primeiro de janeiro os candidatos que foram diplomados. O ato atesta que os candidatos cumpriram com todas as exigências legais e estão aptos para exercerem suas funções no quadriênio 2017/2020. Antônio Silva, prefeito reeleito em Varginha comenta sobre este momento.

“É um momento realmente solene, de alegria, mas que ao mesmo tempo é o momento de abrirmos a consciência para a realidade. Eu hoje estou aqui recebendo mais uma ver este diploma, pela quarta vez, para exercer o meu quarto mandato, dando seguimento a este que estamos concluindo. Num momento conturbado da economia, da política, mas eu sou uma pessoa otimista, tenho muita fé em Deus, sempre o coloco à frente do meu trabalho, e tenho certeza de que Varginha pelas suas enormes potencialidades vai superar tudo isto. Os desafios estão por vir, mas nós estamos preparados para enfrenta-los. Temos certeza de que o Brasil é maior do que estas crises que aí estão. Seja na economia, na política, a crise moral que vivemos hoje no Brasil, mas não podemos desistir deste país maravilhoso que Deus nos deu. Este paraíso chamado Brasil”.

Ao final do evento, Dr. Oilson Hoffman destacou o trabalho que ele vem desenvolvendo junto aos reeducandos do presídio de Varginha, de sua ousadia de liberar presos do regime semiaberto e da reincidência destes ao mundo do crime.

“É muito difícil ser diferente. É muito difícil nós juízes termos a coragem de em certos momentos da nossa vida, da nossa judicatura, fazermos algo que seja referência. Eu sempre acreditei nos nossos reeducandos. Há necessidade que a nossa população saiba que não há pena de morte no Brasil e nem prisão perpétua. Aquelas pessoas que ali estão vão retornar para a sociedade, mas a forma que todos nós hoje, em todo o Brasil, nós mostramos a punição para os nossos irmãos que resolveram transgredir as normas, ela não reeduca. Eu tenho para comigo que só o amor e o respeito, há uma chance de a gente oferecer a eles a verdadeira ressocialização. E eu tenho feito isto desde o dia 08 de agosto de 2015. Eu tenho dado um voto de credibilidade para eles, dado oportunidade de hoje mais de 250 presos, que teriam ainda anos e anos para a progressão de regime, e com eles antecipando esta pena. E a minha alegria é porque eu não me furto a ir no presídio, conversar com eles e dar um abraço em cada um de nossos irmãos, e mostrar para eles que eu acreditei neles, e que eles não podem me decepcionar. O homem nos decepciona todos os dias, mas desses nossos reeducandos, até hoje, graças a Deus, apenas dois retornaram para o crime. E isso é o motivo para que eu continue na certeza de que eu estou no caminho certo. Tenho a absoluta certeza que nós estamos preparando esses homens para o retorno à sociedade, para que eles possam começar uma vida nova sempre. A despeito de entender de que desde que o mundo é mundo o crime anda conosco, qualquer um de nós ainda hoje, poderemos cometer uma transgressão, mas aqueles que estão passando por ali no presídio de Varginha, eu tenho quase certeza absoluta, que o índice de reincidência será muito pouco, porque nós estamos dando a ele o que a própria sociedade nunca lhes deu: dignidade, amor, carinho e atenção”.

 

Escreva um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.
Campos necessários estão marcados*