MUDANÇA DE ASTRAL

MUDANÇA DE ASTRAL

João Chiabi Duarte, 

Como Wagner Pires e Itair Machado mudaram o astral do Cruzeiro ? – Na posse do clube no dia 18/12/2017 eu me aproximei do presidente e disse que eu tinha confiança de que ele iria surpreender aos mais céticos, principalmente porque estava integrando à gestão do clube profissionais competentes e conhecedores dos seus campos de atuação, como os casos já citados de Marco. O presidente do Cruzeiro eu conheço há quase 30 anos, pessoa de fino trato, grande capacidade, companheiro de sangue azul dos bons, um grande administrador, com um NETWORKING de fazer inveja às pessoas e trânsito livre no meio empresarial.

 

Conheci Itair Machado em 2005, quando da pré-temporada do clube na Toca da Raposa. O Ipatinga além do Ney Franco tinha levado 18 jogadores do Cruzeiro que acabaram campeões da temporada em cima da gente. Fui apresentado a ele pelo meu compadre Eliezer de Souza Mattos numa das visitas que fizemos na Toca I no início do ano.

Depois desta ocasião estive várias vezes na USIMINAS a serviço, me encontrei com ele e com o Amarildo que era o diretor de futebol, praticamente todas as vezes que estive no Vale do Aço. Depois, com a minha função voltada para o exterior perdi o contato com eles, mas, vi o Ipatinga chegar até a série A do Campeonato Brasileiro, guiado pela competência do Itair Machado. Se um clube grande e rico em patrimônio como o América-MG, Avaí, Santa Cruz ou Náutico não consegue se sustentar na série A, o que dirá do Ipatinga, mas, o que faltou a Itair Machado foi apoio dos políticos de Ipatinga e dos empresários da região.
Ele ainda tentou transferir o time para Betim com o apoio do Vittorio Mediolli, mas, a falta de identidade com o torcedor pesou contra a ideia. E depois sem apoio, viu o time voltar às origens, de onde tenta alçar novo voo em 2018.

 

Desde o início deste processo onde ele foi convidado a fazer parte da gestão do futebol do Cruzeiro, vi uma semelhança positiva entre Itair Machado e Eduardo Maluf, para mim um craque na gestão esportiva, um cara do bem, esperto, conhecedor da matéria, que também amargado o sucesso e o fracasso à frente do Valerio Doce de Itabira, antes de virar um monstro como diretor de futebol do Cruzeiro e também sendo decisivo no outro lado da Lagoa da Pampulha.

Pois bem, vamos agora avaliar o trabalho inicial de Itair Machado na montagem do grupo do Cruzeiro, desde o final de 2017 quando assumiu até agora.

Quando a chapa de Wagner Pires ganhou as eleições, com o rompimento de Dr. Gilvan e Bruno Vicintin com o novo presidente, foi sendo descoberta a real situação do clube. A venda de Diogo Barbosa permitiu que os salários de outubro fossem pagos em novembro. E havia espocado nas redes sociais a tal dívida do Cruzeiro na FIFA, estimada em R$ 50 milhões. O fato dificultou demais as negociações do Cruzeiro, mas, houve inteligência no negócio e o clube conseguiu equacionar bem as coisas, pela inteligência e domínio de mercado do nosso presidente e também pelo conhecimento de futebol de Itair Machado que foi atendendo aos pedidos do treinador Mano Menezes que recebeu proposta do Palmeiras, mas, preferiu ficar no clube e continuar o trabalho campeão que ele havia recomeçado em setembro/2016.

No dia 05 de janeiro, o Cruzeiro quitou os salários de novembro, dezembro, 13º salário e férias dos jogadores, tomando um empréstimo nas redes bancárias com carência de 6 meses e dando como garantia as cotas de TV que o clube irá receber pela participação no Brasileiro.

Parte do dinheiro foi usada para o pagamento ao Botafogo (R$ 4 milhões por Bruno Silva), outra parte para pagamento ao Vitória por David e uma outra parte (R$ 10 milhões) foi provisionada para o pagamento da multa contratual de Fred se assim a justiça determinar.

Relembro que as dividas na FIFA eram referentes a Latorre (~R$ 10 milhões), Caicedo (~R$ 10 milhões), Riascos (~R$ 3,5 milhões), Pisano (~R$ 3,5 milhões), Rafael Sóbis (R$ 4 milhões) e o restante era devido a Ramon Ábila, que foi equacionada com a cessão do atleta ao Boca Jrs. Evitando-se o pagamento de 5.5 M€ (~R$ 22 milhões). As outras dívidas estão sendo discutidas caso a caso e o presidente já prometeu equacionar tudo em breve, com a ajuda dos advogados do Cruzeiro, discutindo com os credores a melhor forma de quitar estas dívidas, bem como uma reanálise dos valores.

Então, foi com base em muita criatividade e conhecimento de futebol que o grupo de jogadores do Cruzeiro foi sendo reforçado.

Os atletas contratados foram :

  • Fred – veio com salário base de R$ 500 mil e com bônus por performance, com o Cruzeiro se comprometendo a pagar a multa rescisória de R$ 10 milhões em caso de condenação do atleta. Uma oportunidade única que a nova diretoria teve e não vacilou. O Cruzeiro precisava de uma referência até porque Sassá, Raniel e Judivan voltam de contusões e Sóbis que seria outra alternativa não viver boa fase atuando no comando do ataque. E o grupo recebeu a Fred muito bem, ele está feliz e em casa, com companheiros que atuaram com ele no Fluminense como Thiago Neves, Sóbis e Digão, além de Fábio o único remanescente do grupo de 2005, quando Fred brilhou no Cruzeiro. Faço questão de lembrar que Fred é cruzeirense mesmo e que só atuou do outro lado, porque não coube na planilha do Scuro, Bruno Vicintin e do Dr. Gilvan, pois, o primeiro clube a ser procurado foi o Cruzeiro. Desta vez, houve acerto.
    Tenho confiança que Fred contribuirá e muito nas vitórias do Cruzeiro este ano.
  • Egídio – outro que chegou sem custos, afinal o seu contrato com o Palmeiras chegou ao fim e ele ficou marcado por lá por ter perdido o pênalti que eliminou o clube na Libertadores deste ano diante do Barcelona do Equador. Todos conhecemos o lateral que foi o melhor do Brasil em 2013 e 2014. Ele sempre foi ótimo no apoio, cruza bem, bate faltas e tem boa visão de jogo. Mas, precisa de um encaixe da marcação / proteção para não criar vulnerabilidade no sistema defensivo. O encaixe defensivo nunca foi o forte dos times de Marcelo Oliveira, mas, é um dos pontos fortes de Mano Menezes. Em 2013/2014 jogava com Bruno Rodrigo e Nilton (Lucas Silva) na cobertura do lado esquerdo, jogadores de bom posicionamento, mas, mais lentos. Agora terá Murilo e Romero por ali, o que certamente vai melhorar e muito a consistência defensiva e permitir que ele se solte mais no apoio.

 

  • Bruno Silva – o Cruzeiro não tinha no elenco uma alternativa a Robinho, para fazer o 3º volante, mas, sendo um jogador que pode se desgarrar de trás e fazer parte do sistema ofensivo. A chegada do armador do Botafogo vai nos dar esta importante arma, inclusive para mudar o sistema tático sem precisar de fazer substituições, pois, tanto Bruno Silva quando Henrique ou Ariel Cabral podem fazer a função de 2º volante, sem problemas. O Cruzeiro pagou R$ 4 milhões ao Botafogo, R$ 1 milhão à Ponte Preta e ainda cedeu 40% do atacante Ronny (mantendo outros 40% nos direitos do atleta).
  • Marcelo Hermes – Uma oportunidade que apareceu em função do bom relacionamento com o Benfica. O rapaz não vinha sendo utilizado e os portugueses o haviam contratado no início de 2017. Ele fez uma partida fora de posição e foi logo repassado ao Benfica B, onde atuou pouco. Mano Menezes o conhecia do futebol gaúcho e aprovou a vinda dele, que marca bem e tem boas qualidades também no apoio. O Cruzeiro vai pagar a metade dos salários (± R$ 100 mil mensais ou 25 mil €) e o Benfica o resto. Ele vem por empréstimo até o final de 2018, com os direitos fixados.
  • David – Um jogador que foi muito bem em 2017 no Vitória-BA e que joga pelos lados do campo. Mostrou ótima qualidade técnica, vai para cima do adversário, canhoto e chega ao clube com a ajuda de empresários. Segundo consta o Cruzeiro adquiriu 70% dos direitos, ficando o Vitória e empresários com os 30% restantes. O valor pago foi 2.5 M€ = R$ 10 milhões, não sendo divulgado quando foi investimento do Cruzeiro e quanto veio dos investidores (no caso o banco BMG).

 

  • Edílson – O Cruzeiro fez a troca deste lateral direito por 30% de Alisson, conservando 10% do nosso ex-jogador da base para o caso de alguma negociação futura. Edílson tem características inatas de liderança, marca bem, é jogador sanguíneo, raçudo e que chuta muito de média e longa distâncias, além de ter boa condição física e pulmão que lhe permite fazer o vai & vem com desenvoltura.

 

Ainda existem alguns atletas cujo nome tem sido ventilado para fazer parte do nosso grupo de jogadores tais como :

  • Mancuello – Ainda não foi confirmada a sua contratação. Mas, as fontes dizem que o Cruzeiro assumiria uma dívida de R$ 2 milhões do Flamengo com o Independiente, além de dar mais uma compensação financeira aos cariocas pela vinda do jogador. Mancuello é um jogador muito inteligente, capaz de atuar de 2º volante pelo lado esquerdo, como 4º homem de meio-campo pelo lado esquerdo no sistema 4-1-4-1 e também atuar centralizado como meia de ligação tradicional. Sou suspeito para falar deste jogador pois mesmo antes dele acertar com o Flamengo, eu o pedia aqui no Cruzeiro. Trata-se de um jogador que é bom de grupo e que só não brilhou no Flamengo porque era escalado na função errada e porque teve contusões na hora que seu futebol crescia. Seria uma contratação para repor a saída de Arrascaeta, como alternativa a Thiago neves para a composição do elenco.

 

  • Zé Raphael – O jogador surgiu bem no Londrina em 2016. Teve uma temporada de destaque no Bahia em 2017 e o pessoal da TRAFFIC entende que neste momento não haveria vitrine melhor que o Cruzeiro para ele mostrar o seu futebol. O valor pedido pelos direitos do rapaz é R$ 15 milhões. O Cruzeiro tem boas opções para a função que ele atua ou pode atuar. Porém, caso Arrascaeta seja negociado nesta janela (se fecha em 31/01/2018 para os clubes da Europa), pode ser uma boa peça de reposição. E que teria certamente investidores interessados a serem parceiros do clube na aquisição.

 

Gestão da Folha Salarial – A aquisição destes jogadores representou um acréscimo estimado na folha do Cruzeiro da ordem de R$ 1,78 milhões assim estimada: Fred (+500 mil), Edílson (+380 mil), Mancuello (+300 mil), Egídio (+ 220 mil), Bruno Silva (+ 180 mil), Marcelo Hermes (+100 mil), David (+ 100 mil).

Por outro lado, com as rescisões, empréstimos e negociações de jogadores o Cruzeiro também evitou despesas da ordem de R$ 1,65 milhões: Willians (- 250 mil), Mena (- 220 mil), Alisson (- 200 mil), Diogo Barbosa (-160 mil), Élber (- 150 mil), Joel (- 120 mil), Grolli* (- 100 mil), Georgemy (- 80 mil), Fabrício Bruno* (-60 mil), Bryan** (- 60 mil), Eurico (- 60 mil), Uiliam Corrêa (- 60 mil), Ronny (- 50 mil), Andrey (- 30 mil), Lucão (-20 mil), Thony Anderson (- 30 mil).

(*) – Grolli e Fabrício Bruno estiveram na Chapecoense em 2017 com os salários sendo pagos pelo Cruzeiro, com base no acordo de ajuda que os clubes fizeram com a Chape.

(**) – Na vinda de David o Cruzeiro fez acordo com o Vitória, se comprometendo em pagar 50% dos salários de qualquer jogador que não estivesse nos nossos planos, porém, que agradasse ao clube baiano.

Ou seja, o balanço mostra que com os movimentos feitos a folha do Cruzeiro praticamente não se elevou de 2017 para 2018, porém, o elenco foi extremamente qualificado. Foram contratados jogadores para posições e funções carentes no elenco, configurando um grupo muito forte, cabendo a Mano Menezes a habilidade de gerir as individualidades, coisa que nosso treinador já demonstrou ter capacidade de sobra.

 

Assim fica montado o elenco do Cruzeiro já no início da temporada, com 35 jogadores:

Goleiros (4) – Fábio + Rafael, Lucas França e Victor Eudes

Laterais (5) – Edílson, Ezequiel + Egídio, Marcelo Hermes e Victor Luís

Zagueiros (6) – Dedé e Murilo + Manoel e Léo + Digão e Arthur

Volantes (6) – Lucas Romero e Ariel Cabral + Henrique e Lucas Silva + Nonoca e Vânder

Meias de Ligação (6) – Robinho, Bruno Silva, Thiago Neves, Arrascaeta, Messidoro e Mancuello

Atacantes de Lado de Campo (5) – David, Rafael Sóbis, Judivan, Rafael Marques (este jogador ainda poderá sair) e Rafinha.

Centroavantes (3) – Fred, Sassá e Raniel.

 

Conclusão : A análise mostra que mesmo que o Cruzeiro tenha que negociar jogadores a reposição já está no elenco ou pelo menos identificada, evitando que o clube tenha que ir ao marcado na famosa XEPA, achando jogadores 0800, porém, com o ônus de contratos longos e a custo elevado, coisa que vimos acontecer com o clube em eras passadas.

O elenco está encorpado, vamos aguardar os primeiros jogos para a gente ter uma ideia de como foi o encaixe, ver se deu liga. Mas, antes da bola rolar não creio que qualquer torcedor possa falar mal de qualquer dos jogadores contratados.

É preciso ser sincero e honesto com Wagner Pires e Itair Machado que foram brilhantes na gestão financeira para a montagem deste grupo que considero o melhor desde 2013/2014, que já demonstra uma união muito bacana no início da temporada, com o astral elevado. Tem tudo para dar certo.

Agora é a hora da torcida fazer a sua parte. Associando ao programa de SÓCIO TORCEDOR em qualquer de suas categorias e comparecendo ao Mineirão para apoiar o clube.

 

E de Conceição do Mato Dentro – MG e Região (todos com A): Adão de Oliveira Costa Filho, Antônio Costa Ferreira Filho, Antônio Geraldo da Silva Neto, Auro Cézar Quintão (Ferros), Albano Augusto Pinto Correa Filho (Banoca), Ana Cristina Duarte Brito, Alessandro Pires Costa, Anacleto Martini Ribeiro, Ana Maria F. Oliveira, Alberto Lima e Aldo Duarte Sapore (meu primo e rei da Brejaúba). Para treinador desta enorme seleção convoco o grande Antônio Sadi da Silva, sempre presente preservando a memória dos encontros da turma com suas fotos históricas.

 

☻ A seleção dos homenageados 1ª Coluna de 2018 tem: Jair Garcia, Sérgio Silva, Hélio Corrêa, Ricardo Meira e Marcelo Varela; José Cassemiro, Cesari e Mauro Rios; Paulo Hurtado, Barão e Paulo Matos. E para treinador desta seleção convoco Delavigne Filho, que foi um dos comentaristas que mais nos prestigiou no ano passado, sempre contribuindo com as suas opiniões neste espaço.

 

Cruzeiro, Cruzeiro Querido…Tão Combatido, Jamais Vencido…

Categories: Colunas

Sobre o EN

Enxada Neles

O jargão “Enxada Neles” foi criado por Ademir Santos, apresentador da TV Alterosa/SBT – Sul e Sudoeste de Minas Gerais, idealizador do Portal Enxada Neles. Ademir começou a usar esse jargão na TV como uma forma de desabafo diante das injustiças sociais que apresenta diariamente. A “enxada” representa o valor do trabalho sério e árduo de uma pessoa na busca de suas conquistas, pelo seu esforço e honestidade.Desta forma, de um modo geral e simbólico, é um símbolo do trabalho. A frase caiu no gosto popular e virou a “marca registrada” de Ademir Santos. No Portal Enxada Neles você ficará sempre bem informado sobre as principais notícias do Sul e Sudoeste de Minas Gerais, além do Brasil e do Mundo. Enxada Neles é o seu novo portal de notícias na internet!

Escreva um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.
Campos necessários estão marcados*